Browsed by
Mês: maio 2016

Não existe relação sexual

Não existe relação sexual

Não existe relação sexual. Não, essa não é uma péssima notícia, é só uma provocação.Não há relação no sentido de completude. Foi com essa frase que o psicanalista Jacques Lacan tumultuou a sensibilidade da intelligentsia francesa nos anos 70. Claro que não faltou quem imediatamente dissesse que o famoso seguidor de Freud dizia isso porque estava avançando na terceira idade. Risos. Mas o fato é que essa aparente bobagem, nos impacta: -“Como assim, não existe relação sexual? O que quer…

Read More Read More

Tocar o intocável

Tocar o intocável

  Chegou no consultório da analista. Era um homem bem-sucedido, ganhava bem e era realizado na vida pessoal. Ele contou que sempre quis ter família e que agora tem. Há diferenças. Ele espírita, ela evangélica. Ela se converteu recentemente. Bonita, boa mãe, a mulher perfeita. E se amavam. Mas estavam brigando muito. Nem sempre a vida foi assim, ele conta. Foi adolescente rebelde. Viveu o movimento hippie e foi um deles. Músico de vocação, tocava na noite para sobreviver. Muito…

Read More Read More

Uma mulher de 30, 40 ou 50 ….

Uma mulher de 30, 40 ou 50 ….

Ela era uma vez uma mulher de quase 30 anos. Chega na analista e se apresenta como aquela que está sofrendo por amor. Apaixonada, viu seu namorado colocar as chaves em cima da mesa e ir embora sem olhar para trás. Ela fica pensando que o problema estava com ela. E ele se cansou. Alguns dias depois, lá estava ele acompanhado de uma dessas mocinhas da moda. Bela, recatada e do lar, como reza a lenda. Em meses se casaram…

Read More Read More

A Repetição nossa de cada dia

A Repetição nossa de cada dia

  Todos os seres humanos têm padrões de repetição. Alguns calçam o pé direito sempre antes do esquerdo, ou vice-versa, outros sempre dão topadas nas mesmas quinas dos móveis ou gostam de comer determinados alimentos antes de outros. Até parecem engraçados. Mas não é. Causam sofrimento. Quando são acontecimentos corriqueiros, não há grande importância. O problema é quando a repetição é destrutiva. São compulsões que levam indivíduos à beira da loucura e destroem vidas – as suas próprias e as…

Read More Read More

Rachel

Rachel

Rachel Jardim é uma escritora que gosto desde menina. Seus livros sempre pareceram ter sido escritos para mim. Mineira de Juiz de Fora, nasceu no final dos anos 20. Foi sempre uma mulher à frente de seu tempo. Isso marcou sua escrita para mim. Hoje, desfazendo mais algumas caixas, me deparo com uma relíquia. “Contos de escritoras brasileiras” traz uma história encantadora onde juventude e maturidade se encontram e definem uma escolha. Leiam abaixo: A viagem de trem                                                                                                     Rachel…

Read More Read More

A diferença que incomoda

A diferença que incomoda

 Está muito difícil viver nos dias de hoje. Não acho que a dificuldade de lidar com diferenças e minorias seja um fato novo. Acho que o novo é a enorme velocidade com que as informações e comentários são divulgados e analisados. Há poucos dias a polêmica sobre o homossexualismo esteve à tona com o triste comentário de Patrícia Abravanel. O que ela disse, já havíamos ouvido antes. Políticos, artistas, pessoas do nosso meio social, onde quer que a gente ande…

Read More Read More

Eu, a egoísta

Eu, a egoísta

Na família, tenho fama de egoísta porque penso em mim, em minhas prioridades e no que me faz bem sempre em primeiro lugar. Eu prefiro pensar com Lacan e dizer que não posso ceder do desejo. Quando cedia, quem pagava era eu mesma. Agora não cedo. Vendo este post do Gikovate pensei em outra coisa: Realmente gosto de ficar sozinha ou em companhia de quem me faz bem. Não consigo investir meu tempo quando as agulhas do mal estar me…

Read More Read More

40 e poucos anos

40 e poucos anos

Vou chegar aos 50 em alguns bons anos. Ao ler o texto de Maitê Proença, pensei em mim hoje. Tomei a liberdade de inverter a ordem da publicação, para se parecer um pouco comigo: ” Saibam: vou envelhecer até o ponto certo, como o Gorgonzola. Se Deus quiser, morrerei no ponto G da deterioração da matéria. Estou me tornando uma iguaria. Com vinho tinto sou deliciosa. Aos 50 sou uma mulher para paladares sofisticados. Não sou mais um queijo Minas…

Read More Read More

Abençoado por Deus e bonito por natureza

Abençoado por Deus e bonito por natureza

Para M. Era uma vez um homem de quase 30 anos. Nele, o conflito se configurava a partir da transformação do princípio do prazer em princípio de realidade. Sua vida seguia uma dialética, do lado do princípio do prazer estava o senhor-id, do outro um escravo-ego. O senhor é a pura satisfação que não refreia o desejo, simplesmente consome, o escravo refreia seu próprio desejo que está no senhor e instaura o princípio de realidade que adia a satisfação na…

Read More Read More

O ato na adolescência

O ato na adolescência

A tendência ao ato é uma das marcas da adolescência. Para dar sentido à vida ou enfrentar suas dificuldades, cada sujeito deve inventar um modo de se nomear. Entre essas invenções, inclui-se o correr riscos. O jovem, na falta de referências simbólicas que o auxiliem nessa passagem, utiliza-se da dimensão do ato como forma de lidar com o mal-estar provocado pela entrada na adolescência, pelo encontro sempre faltoso com o sexo e pela escolha de sua identidade sexual O jovem…

Read More Read More

%d blogueiros gostam disto: